Por: Carolina Veiga | 5 anos atrás

Afelicidade é compartilhada por professores, diretoria e alunos na Escola Municipal de Ensino Fundamental Anna Töwe Nagel, no Bairro Água Verde. E não é para menos, a escola ficou com média 7 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2013, nas turmas de 4º e 5º ano. Nas séries finais – 8º e 9º ano -, a escola obteve média 6, repetindo o feito de 2011. As notas que analisam a qualidade do ensino nas redes pública e privada de ensino foram divulgadas na última sexta-feira (5).

Para a diretora da unidade, Eliane Maria Avi da Silva, as boas notas no Ideb são reflexo de um trabalho contínuo realizado entre escola, alunos e comunidade. “Estamos todos muito felizes. É uma nota que sempre gera expectativa e nosso desafio é manter essa qualidade. É o resultado de um trabalho em busca de excelência”, diz. Ela aponta que maior parte das escolas municipais apresentaram médias boas e que é preciso buscar formas de ensinar que sejam positivas para os alunos. “Os adolescentes são nosso maior desafio. Essa nova geração é muito ágil, então precisamos de conteúdos de interesse deles e conscientizar sobre a importância de levar os estudos com seriedade”, salienta. Segundo a diretora, sem a união entre família e comunidade escolar nada teria muito efeito. “É um trabalho de união, onde o acompanhamento dos pais é fator decisivo para a qualidade do futuro do filho”, completa.

Na turma que prestou a prova em 2013, estavam os estudantes Kailaine Eduarda da Rosa, de 12 anos, e Augusto Paulo Lenckulh, de 11 anos. “Foi bom saber dessa nota 7, todos estamos bem contentes e orgulhosos por termos feito algo bom para nós e para a escola”, enfatiza Kailaine. Augusto conta que a prova foi difícil, mas que todos estudaram e trabalharam para tirar boas notas.

Uma das pessoas orgulhosas com o resultado dos alunos foi a professora de Português Gilmara Franco Ferreira da Cruz. Para ela a nota do Ideb de 2013 é resultado de um esforço gradativo que começa com os alunos desde os primeiros anos escolares. O professor e doutor de matemática Osvaldo Deucher completa enfatizando que a nota é fruto da dedicação de toda a unidade escolar. “É um trabalho que está dando frutos e estamos plantando boas sementes”, finaliza. Para a próxima avaliação do Ideb, a meta da escola é avançar dois décimos, chegando ao 7,2.

A rede municipal de Jaraguá do Sul ficou com média de 6,2 para os anos iniciais e 5,4 nos anos finais, no Ideb 2013. A segunda melhor nota da cidade foi a da Escola Atayde Machado, com 6,9. A nota é inferior a obtida em 2011, que foi 7,5.

De acordo com a diretora de Ensino Fundamental da Secretaria Municipal de Educação, Marcilene Campregher, o setor pedagógico fará uma reunião especial para discutir as notas do Ideb 2013. “Ficamos muito felizes por Jaraguá do Sul estar dentro da média, por ter mantido a nota nas séries finais e crescido, mesmo que um décimo, nos anos iniciais. Esses décimos significam muito”, afirma. Ela explica que será feita uma análise das escolas que não conseguiram atingir resultados previstos e serão feitas ações para melhorar esta situação – e consequentemente elevar a nota no próximo Ideb, que é em 2015.

Na rede pública estadual esses números ficaram em 6,2 para os anos iniciais e 4,6 nos anos finais. A gerente de Educação da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Jaraguá do Sul (SDR), Lorita Zanotti Karsten, disse que só falaria sobre as notas das escolas estaduais da região após comunicado oficial da Secretaria Estadual.

Santa Catarina cai no ranking nacional

Santa Catarina caiu na avaliação nacional da educação básica, segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). O Estado só alcançou uma das três metas estipuladas pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) para 2013.

No último Ideb de 2011, Santa Catarina liderou o ranking nacional no Ensino Médio e nas últimas séries do Fundamental. No Ideb 2013, ficou com 6 nos anos iniciais do Ensino Fundamental – do 4º ao 5º ano -, o índice representa a terceira colocação do ranking nacional. Em 2011 a nota era 5,8, e garantiu à SC o segundo lugar. Nos anos finais do Ensino Fundamental, 8º ao 9º ano, o Estado deixou a primeira colocação, com nota 4,9, e caiu para quarta posição, com 4,5. Já no Ensino Médio, a média da educação catarinense no ranking 2013 foi 4,0, ficando em segundo lugar. No último levantamento, o Estado liderava também, com 4,3.

 

 

Escolas Municipais:

4º e 5º ano /anos iniciais do ensino fundamental:

escolas

8º e 9º ano / anos finais do ensino fundamental:

escolas 8

 

Escolas Estaduais

4º e 5º ano /anos iniciais do ensino fundamental:

estado

 

8º e 9º ano / anos finais do ensino fundamental:

estado8