Por: Ana Paula Gonçalves | 13/10/2017

O sonho de ser jogador de futebol faz com que a bola seja “amiga” inseparável de Felipe Gabriel Ferrari, 11 anos, estudante do 5º ano Escola Almirante Tamandaré, em Guaramirim. Ele treina sempre que possível, mas garante que está adiantando os estudos caso não consiga evoluir na carreira de atleta.

Para Felipe, a violência é um grande problema nos dias atuais, especialmente os cenários de guerra. Além de dificuldades mundiais nesse aspecto, ele destaca que a política nacional está gerando muitas brigas. “As pessoas não conseguem ter uma política séria, elas só brigam”, ressalta. Sobre o bullying, ainda tão comum em grande parte das escolas, ele conta que acontece em sua sala de aula e afirma que a prática gera muita tristeza a quem passa por isso. “(A pessoa) se sente muito mal, dá pra sentir pelo olhar dela”, comenta.

Quando não está na escola, o que gosta de fazer?

Olha, eu vou pro treino ou fico jogando no celular… Ou brincando com meus amigos.

O que você treina?

Futebol.

Sobre esportes, o que você pode nos falar?

Ah, futebol a maioria dos meninos gosta. Vôlei eu acho interessante e até treino também.

Em que posição você joga futebol?

Lateral direito.

Quais são teus ídolos no futebol?

Olha, pra mim não tenho nenhum.

E time?

Time é o Flamengo.

Fale sobre os seus sonhos:

Eu queria ser jogador, mas já estou adiantando um pouco os estudos, caso der errado.

Vai fazer algum teste? Já tem algo em vista?

Por enquanto só tô treinando mesmo.

 

Felipe Gabriel persegue o sonho de ser jogador de futebol | Foto Eduardo Montecino/OCP

 

Com quem você mora?

Com meu pai, minha mãe, uma avó e duas irmãs.

Suas irmãs são mais novas ou mais velhas?

Mais velhas do que eu.

O que seus pais fazem?

Meu pai (Sérgio Luiz) é advogado e minha mãe (Salete) trabalha na Secretaria de Saúde.

Tem animais de estimação?

Tenho um cachorro, o Tugui.

Qual a disciplina que você mais gosta de estudar na escola?

Pra mim é todas, mas acho que matemática é a que mais gosto.

Tem facilidade em matemática?

Sim.

Conte uma coisa legal que aprendeu na escola?

Porcentagem. É uma coisa que eu sempre quis saber.

Por que você queria aprender porcentagem?

Porque sempre tem o negócio lá de desconto, eu não sabia fazer aquilo, agora eu sei.

Tens amigos fora da escola?

Tenho.

Sobre o que vocês conversam?

Hmm, na verdade, conversamos sobre um jogo ou sei lá, de brincadeiras, às vezes a gente faz uma brincadeira ali.

Costuma acompanhar notícias?

De vez em quando eu paro para assistir jornal.

A maioria delas é boa ou ruim?

Olha, todas as notícias que agora tô vendo no jornal é sobre morte. É só isso que está passando.

Que notícias você gostaria de ver mais?

Ah, sobre o presidente ajudando os pobres, o que não está acontecendo, mas, é a vida.

Você sabe qual é o papel do jornalista?

É ir atrás de informação para passar pro jornal.

Acha que as crianças são ouvidas?

Olha, tem criança que é ouvida em todo o lugar, mas tem criança que o pai está trabalhando e não pode dar muita atenção. Tem pai que nem liga pro filho.

Você gosta de viajar?

Não gosto muito de viajar em carro, pra mim é uma coisa muito… eu passo mal de ficar em carro trancado. Eu gosto de ficar brincando. Prefiro ir de ônibus do que de carro.

Diga um lugar legal que você já visitou?

A praia.

Como você vê o nosso planeta?

Tem várias formas de olhar o planeta, com gente ajudando, ou gente estragando. Tem muito desmatamento e isso a gente está até estudando, mas acho que isso deveria ser estudado pelos maiores também.

Você acha que as pessoas se importam em preservar o meio ambiente?

Algumas sim, mas têm algumas que desmatam para ganhar dinheiro. Que não têm trabalho, daí precisam fazer isso, né.

E que atitudes você acha que temos que adotar para melhor isso?

Olha, cortar árvores até pode, mas se replantar… Um cara vai sair de carro, aí tem um galhinho atrapalhando, não precisa cortar a árvore inteira, só cortar o galho.

Quais são os resultados dessas agressões à natureza?

Olha, são sempre ruins. Pode estar ajudando eles, mas está prejudicando as outras pessoas.

Tem acesso à internet?

Tenho.

Quais páginas mais acessa?

Youtube.

Tem algum youtuber que mais gosta?

O Godenot.

Sobre o que é o canal?

Ele mostra os joguinhos que são de graça, não tem que pagar. E isso é bem interessante até.

Tem celular?

Não, minha mãe disse que celular para mim só com 18 anos.

E você acha que as pessoas hoje em dia vivem sem internet e celular?

Tem gente que consegue, mas tem gente que se ficar sem internet diz que o mundo vai acabar.

Descreva o que é uma pessoa bonita:

Uma pessoa que tem interesse em estudo. Não sei descrever uma pessoa…

O que você acha que ela precisa para ser considerada uma pessoa bonita?

Engraçada, que vai atrás dos sonhos. Acho que é isso.

Sabe o que é preconceito?

Sei.

Fale um pouco sobre o que é?

É muito ruim no Brasil, por causa que o preconceito… tem até uma música que fala disso, por causa do preconceito o cara se jogou do 8º andar. Isso está atrapalhando muito a evolução do Brasil.

Você sabe o que é bullying?

Sei. Tem até bullying na minha sala ali, porque ficam chamando uma menina de gorda.

Como você acha que a pessoa que sofre bullying se sente?

Se sente muito mal, dá pra sentir pela pessoa, pelo olhar dela.

Você acha que ela fica triste?

Muito triste.

E o que você acha que a pessoa que pratica o bullying sente?

Penso que ele está achando engraçado, porque não é ele que está sofrendo. Daí ele está achando engraçado porque ele se acha o rei do mundo.

O que você acha que se pode fazer para aumentar o amor entre as pessoas?

Aumentar até dá, mas sempre vai ter uma pessoa que não vai gostar e vai xingar uma a outra.

E como a gente reverte isso?

Dizendo pra pessoa que não é legal, que se fosse ela ali no lugar da pessoa ela também não iria gostar. Fazer a pessoa sentir o que a outra sente.

Gosta de ler?

Gosto.

Conta sobre algo interessante que já leu:

Dois livros que meu cunhado me deu, porque livro se for de gente mais velha assim, dando para criança, a criança não vai gostar. Mas, ele me deu um que é de criança mesmo e eu achei bem interessante.

Sobre o que fala o livro?

Sobre um jogo.

 

“As pessoas não conseguem ter
uma política séria, elas só brigam.”

 

Quem é o presidente do Brasil agora? Você sabe?

O Temer.

O que já ouviu falar sobre ele?

Olha, dizem que ele é muito bom, mas eu não sei nada de política.

Acha importante saber sobre política?

Importante é, mas para criança isso não é muito bom, porque elas saem xingando todo mundo, nem sabendo qual é a pessoa.

Acredita que hoje existe muita briga por causa de política?

Existe, as pessoas não conseguem ter uma política séria, elas só brigam.

Já ouviu falar sobre corrupção?

Já. A corrupção é muito ruim, os caras ficam pensando que são reis, cortando fila, a gente estudou isso e até deram um livrinho pra gente.

Já ouviu falar sobre guerra? Sabe se está acontecendo alguma?

Em guerra já ouvi falar muitas vezes. E agora parece que os Estados Unidos com a… não sei qual outro país, estão jogando bomba um no outro. Meus amigos ficam dizendo que vai ter uma terceira guerra mundial, mas se isso acontecer…

Coréia?

Acho que é, não sei bem.

Sabe quais são as consequências da guerra?

É muito ruim. Está tento essa guerra lá no Afeganistão com os… os caras mascarados que não lembro o nome agora, e dá pra ver o pessoal, crianças até, todas machucadas, procurando o pai e não tem, porque morreu todo mundo na guerra. Até tem um vídeo sobre uma criança atirando.

Crianças usadas na guerra?

Essas.

E os refugiados?

É meio ruim porque eles têm que sair do país deles, onde já tinham as coisas deles, daí tem que ir para outros países e não sabem nada.

Acha que os países que não estão em guerra devem aceitá-los?

Acho. Tem que se preparar para, caso acontecer com eles, conseguir acabar com essa guerra. Na verdade, combate com combate dá a guerra e isso nunca vai parar.

A paz mundial depende de que as pessoas façam o quê?

Olha, depende muito das pessoas, porque tem pessoas que nem vão gostar disso. E tem o Trump lá também, querendo construir um muro para separar o país dele de outro.

Sobre os direitos da criança, o que você sabe?

As crianças têm que ter muito direito para brincar, ela também não pode ter muita liberdade, porque tem gente que tem muita liberdade e se aproveita disso. E tem crianças que os pais cuidam demais e não deixam brincar nem com os amigos.

E os deveres, quais são?

Os deveres é a criança ter responsabilidade, né. Depende da criança também para ela poder ter mais liberdade.

Além de presentes, o que elas gostariam de receber no Dia da Criança?

Um abraço do pai, uma consolação, tudo de bom.

Você nasceu em Guaramirim?

Sim.

O que mais gosta na cidade?

Acho que de brincar com meus amigos.

Falta alguma coisa na cidade?

Pra criança está faltando uma ciclovia. Isso tá faltando muito.

Você acha perigoso o trânsito?

É, porque tem gente que não gosta que fique andando de bicicleta na calçada e não tem onde andar daí.

Você sabe o que é acessibilidade?

Tá na ponta da língua, mas acho que não lembro agora.

Acessibilidade é facilitar o acesso das pessoas a determinando lugar. Você acha que aqui tem isso?

Acho que sim, nossa cidade é pequena.

Um cadeirante, por exemplo, tem como se locomover livremente?

Olha, rampa, por onde vou sempre tem. Daí também tem para os cegos aquele…

Piso tátil?

Isso. Daí em alguns lugares não tem, o que é perigoso.

Tem alguma religião?

Sou católico.

E pratica?

Pratico.

Você acha que o Deus da tua religião é diferente do das outras religiões?

Olha, o que eu sei é que os protestantes não conhecem a Ave Maria, que só acreditam em Jesus, mas para mim é a mesma coisa.

A doutrina é diferente, mas o Deus é o mesmo?

Sim.

Se Deus estivesse nos vendo agora, o que pensaria da atitude das pessoas?

Elas estão sendo muito más, tem algumas que estão tentando melhorar, mas acho que ele não iria gostar, porque no tempo dele, ele podia curar todo mundo, mas aí mataram ele. Eu acho que está a mesma coisa do que naquele tempo.

O que você acha que tem de errado?

Tem meninos que chegam empurrando, batendo.

Violência?

É, muita violência.

LEIA TAMBÉM: 

– ENTREVISTA ESPECIAL | Dia das Crianças: O mundo sob a lente da Mirella

– ENTREVISTA ESPECIAL | Dia das Crianças: Os sentidos e os sentimentos de Lauro

– Mirella, 1ª entrevistada especial da série das Crianças do OCP, vira celebridade em Corupá

ENTREVISTA ESPECIAL | Dia das Crianças: Isis, a garota que prefere livros à internet