Por: OCP Online | 13/02/2018

O deputado federal do PMDB, Mauro Mariani, deve ser mesmo o representante da legenda na disputa pelo governo do Estado. Aos 54 anos, graduado em gestão pública, Mariani já foi prefeito de Rio Negrinho por dois mandatos, deputado estadual e deputado federal por três mandatos. “Tenho uma trajetória de 20 anos de vida pública. Me sinto preparado para ser governador. Eu tenho convicção daquilo que precisa ser feito, das dificuldades que vamos enfrentar, mas também das grandes possibilidades que nós temos em Santa Catarina”, diz o pré-candidato, que é presidente estadual da legenda.

Para Mariani, o próximo governador vai ter que ter coragem para enfrentar velhos problemas, como o da saúde e segurança pública. “Precisamos fazer uma gestão de realidade. Foi-se o tempo de esconder, de debater só aquilo que interessa”, comenta. “A palavra de ordem do próximo governo é eficiência administrativa em todas as áreas. Seja na saúde, na segurança ou na infraestrutura. Não há mais espaço para jeitinho político. A gestão precisa ser técnica e transparente”, comenta Mariani.

O político também aposta no diálogo para fazer uma boa gestão. “Não existe avanço sem diálogo. Se você não tem capacidade para ouvir não terá capacidade para governar. Por isso, em 2017, o PMDB (hoje MDB) percorreu todas as regiões do Estado com objetivo de levantar as demandas e oportunidades. Queremos construir um plano de governo que de fato atenda aos anseios da população”, afirma.

Quanto a alianças políticas, ele é cauteloso, diz que ainda é muito cedo para estas definições, mas adianta que o PMDB está bem próximo ao PSDB. “É natural que cada partido construa seu caminho e fortaleça a sua base neste momento. Mas estamos dialogando com partidos como o PSDB, que foi nosso maior parceiro nas eleições municipais. Há uma afinidade histórica entre os dois partidos. É uma aliança que não precisa dar explicações. Já estivemos juntos no Estado e nos municípios no passado”, finaliza.

OUTROS NOMES PODEM CRIAR OBSTÁCULOS À CANDIDATURA DE MARIANI

Dentro do partido, Mauro Mariani tem o respaldo das lideranças para a corrida ao governo do estado e é o único pré-candidato da legenda já colocado. No entanto, o nome do vice-governador Eduardo Pinho Moreira – prestes a assumir o cargo de Raimundo Colombo -, naturalmente ganha força, assim como o do prefeito de Joinville Udo Döhler, que é um nome reconhecido entre a legenda e que também conta com apoio. Ambos os nomes podem trazer dificuldades à candidatura do deputado federal.

Em entrevista à imprensa, o vice-governador analisa que o momento que está prestes a se iniciar, quando assumirá o governo na próxima sexta-feira (16) durante licença de Colombo – que renuncia em abril deixando o comando de vez ao emedebista -, naturalmente o coloca em evidência para a disputa ao governo como cabeça de chapa. Moreira considera que não pode se excluir do processo eleitoral catarinense, mas pondera que se trata de um cenário futuro e que, no momento, mantém apoio a Mariani e diz que continuará ajudando-o a se consolidar como candidato.

*Reportagem de Windson Prado e Verônica Lemus