Por: Dyovana Koiwaski | 3 semanas atrás

A decoração natalina que será inaugurada em Corupá, no Norte catarinense, neste sábado (25) tem como matéria-prima a principal característica da cidade. A partir da fibra retirada do caule da bananeira, as produtoras do grupo Musas estão confeccionando os bonecos que irão compor o presépio colocado na Praça Central do município.

Na varanda de casa, entre o trabalho no campo e as atividades diárias, Rosa Jungton, 68 anos, e Elfi Mokwa, 62, transformam a fibra da banana nas imagens de Jesus, Maria, José, reis magos, ovelhas e manjedoura. A montagem começou há três semanas. Algumas peças, contam elas, foram reformadas da decoração do ano passado. Elas mesmas produzem a fibra, retirando as camadas do tronco (capa, seda, renda, fios e filé), deixando secar e passando álcool e breu para o material durar.

Algumas partes são tingidas e costuradas com a máquina de tear, para apresentarem texturas e cores diversas. Dedicadas à bananicultura desde pequenas, as produtoras desenvolveram a habilidade com o artesanato há cerca de dez anos, quando participaram de um curso promovido pela Epagri. Além do presépio, elas produzem outros artigos de decoração com o material ao longo do ano, que são expostos em feiras com a parceria da Associação dos Bananicultores de Corupá (Asbanco).

Segundo Elfi, o fim do ano é a época em que elas mais se empenham na atividade. “É sempre muito corrido, trabalhamos juntas para dar tempo de finalizar. No final, ficamos felizes e orgulhosas por poder contribuir”, relata ela. Rosa destaca a versatilidade da banana para produção de alimentos, objetos e móveis. “Nasci e cresci cultivando a fruta, então poder reaproveitar cada parte sua é extremamente gratificante”, comenta.

Além do presépio, a praça de Corupá terá um pinheiro de Natal e guirlandas de material reciclável para compor a decoração. Ambos também estão sendo produzidos por integrantes do grupo Musas. Para montar a árvore, as mulheres utilizaram 550 garrafas plásticas. As partes de cima foram aproveitadas para fazer os enfeites do pinheiro e as guirlandas.

Nesta reta final de preparação, elas estão se reunindo uma vez por semana para finalizar os arranjos. “Cada um cedeu um pouco de material, começamos na semana passada. O objetivo é propor uma decoração diferente e sustentável”, aponta uma das responsáveis, Marciliana Minatti, 29 anos. Para ela, o Natal motiva as pessoas a confraternizarem e compartilharem seus conhecimentos. “É um período muito especial”, afirma.

A decoração natalina de Corupá será lançada às 20 horas de sábado, na Praça Centra. A iniciativa acontece por meio de uma parceria entre a Asbanco, Grupo Musas e Prefeitura de Corupá, juntamente com a secretaria de Turismo.

 

“Nasci e cresci cultivando a fruta. Então, poder
reaproveitar cada parte sua é extremamente gratificante.”

Elfi Mokwa, produtora

 

Grupo resgata autoestima das produtoras

Com 20 integrantes, o grupo Musas foi criado para trabalhar com a autoestima das produtoras de banana em Corupá. Conforme a diretora executiva da Asbanco, Eliane Muller, as mulheres desempenham atividades da lavoura do mesmo modo que os homens, como o manejo, cultivo e transporte.

“Elas acabavam se machucando durante produção e muitas vezes, se sentiam envergonhadas ao irem para o Centro da cidade. Com a integração, é possível proporcionar momentos de lazer para essas mulheres” relata Eliane. A diretora ainda explica que “musa” é o nome científico da bananeira e foi usado para batizar a iniciativa.

Através dele, as produtoras ainda praticam artesanato, fazem passeios, promovem café e bingos e frequentam palestras sobre a bananicultura.