Por: Dyovana Koiwaski | 14/02/2018

Se nas ruas de Jaraguá do Sul não teve desfiles de escolas de samba e blocos, o salão do Clube Atlético Baependi fez crianças, adolescentes e até mesmo os adultos caírem no ritmo das marchinhas de Carnaval. Aos poucos, princesas, sereias, unicórnios, super heróis, cowboys, bruxas e personagens de desenhos animados lotaram o saguão e fizeram a festa durante a tarde desta terça-feira (13) nublada de Carnaval.

Confira o vídeo:

Quer receber as notícias do OCP Online pelo whatsApp? Basta clicar aqui

A animação de quem não viveu os tempos áureos do Carnaval no município era contagiante. Junto ao colorido das fantasias e decoração do espaço, confetes, serpentinas, espumas de sabão e adereços ajudavam a compor o clima de festa. Miguel Bernardo, de um ano e meio, foi um dos primeiros a chegar ao Carnaval Infantil do Baependi. O pequeno chamava atenção pela roupa de Papai Noel e pelos tímidos passos de dança que arriscava com a avó, Mirna Bregeira, 51 anos.

Natural de São Paulo, Mirna leva tradicionalmente os netos e filhas para a festividade. “Lá é mais comum, tem bloco de rua e muitas outras festas. Aqui, essa é a única voltada para as crianças”, comenta ela. Achilles Pergoraro, cinco anos, também participava pela primeira vez da comemoração. Ele chegou fantasiado de astronauta e deu algumas voltas pelo salão antes de cair na folia.

A mãe, Marta Pergoraro, comenta que, justamente por não ser uma festa tradicional na região, ainda não tinha levado o filho para conhecer. “Comentaram bastante na escola e falaram que era animado, então eu trouxe para ele se divertir com os amigos. A roupa de astronauta ele adora, ganhou de presente da madrinha”, conta Marta.

A fantasia foi um ponto levado a sério pela estudante Mirella Melo da Silva, 11 anos. Com uma roupa preta, maquiagem escura e muitos acessórios, ela revela que se inspirou em filmes de elfos para montar o traje e contou com a ajuda da mãe. “Não conhecia a festa e estou gostando muito”, enfatiza Mirella.

Vestidas de miss Brasil e Arlequina, respectivamente, as amigas Sofia Kuskowski, oito anos, e Sophie Schmid, oito anos, declaram que a parte mais divertida do Carnaval para elas, é poder usar fantasias.

Para as amigas Sofia e Sophie, o ponto alto do Carnaval é poder abusar da criatividade para escolher a fantasia | Foto Eduardo Montecino/OCP

Além de música e um público animado, a festa contava com cabine de fotos, venda de pipocas, doces e outras delícias para as crianças. Conforme o gerente geral do Clube, Rafael Schumacher, cerca de 800 pessoas eram esperadas para o evento. “No ano passado, quase lotamos o salão. O Carnaval faz parte da cultura brasileira e é importante mantê-la e incentivá-la. As crianças adoram e até mesmo os pais recordam dos velhos tempos”, completa Schumacher.

A festa de Carnaval do Baependi era voltada para o público infantil, sendo gratuita para sócios e não sócios.

Estimativa é que cerca de 800 crianças tenham prestigiado a festa | Foto Eduardo Montecino/OCP