Por: Verônica Lemus | 1 semana atrás

O prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli (PMDB), é o novo presidente da Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali) para o próximo ano. A nova diretoria da entidade tomou posse nesta quarta-feira (6), na sede da associação. Lunelli assume a direção da Amvali no lugar do prefeito de Guaramirim, Luís Chiodini (PP).

“Esta é uma grande responsabilidade, para um prefeito em seu primeiro mandato. O prefeito Luís, de Guaramirim, cumpriu muito bem o seu papel, ainda por cima no primeiro ano”, afirma o novo presidente. Lunelli assume a direção da entidade juntamente com o prefeito de Massaranduba, Armindo Sésar Tassi (PMDB), como primeiro vice-presidente, e João Gottardi (PP), prefeito de Corupá, como segundo vice.

Para Lunelli, representar os municípios do Vale do Itapocu significa reforçar o compromisso que os gestores possuem como liderança comunitária, ao levar adiante os interesses e intenções dos municípios da região. “A união dos municípios cria uma força política importante para contornar crises, reivindicar soluções de interesse comum e planejar o crescimento sustentável”, considera o presidente, a respeito da importância e responsabilidade de presidir a entidade.

Sobre sua atuação à frente da Amvali, o novo presidente pondera que 2018 será um ano eleitoral e, portanto, haverá algumas limitações nos pleitos da região por conta da legislação eleitoral, que dificulta a busca de recursos estaduais ou federais. “Devido a essa realidade, poderemos aproveitar a oportunidade para um aprofundamento das questões mais importantes da entidade, da realidade dos municípios e soluções locais para problemas imediatos”, considera Lunelli.

Para o novo presidente, as três prioridades da região seriam os projetos de parceria das defesas civis, “que já ocorrem e merece ser incentivado”; o desassoreamento dos rios para a contenção das enchentes e a questão da duplicação da BR-280, “um tema permanente até que seja devidamente solucionado”, afirma o prefeito.

LEIA MAIS: Duplicação da BR-280 esbarra, agora, na falta de plano para a comunidade indígena

A respeito dos pleitos já abraçados pela Amvali, acrescenta Lunelli, ele destaca os da área da saúde, preservação de recursos hídricos e saneamento, cultura e desenvolvimento turístico, infraestrutura, pecuária e agricultura, mobilidade urbana e tecnologia, que considera “os eixos do desenvolvimento da região”.

Também fazem parte da diretoria os prefeitos Clézio José Fortunato (PMDB), de São João do Itaperiu, Valter Zimmermann (DEM), de Barra Velha, e Osvaldo Jurck (PSDB), de Schroeder, como membros efetivos do Conselho Fiscal. Já Luís Chiodini, como ex-presidente, fica como delegado junto à Federação Catarinense dos Municípios (Fecam).

Chiodini faz balanço positivo do ano

Deixando a presidência da entidade, o prefeito Luís Chiodini faz um balanço positivo do seu mandato. “A gente fica feliz porque os prefeitos viram que realmente a Amvali, nessa aplicação de trabalharmos em conjunto, estarmos unidos em prol do crescimento da região, trouxe resultados”, declara o prefeito de Guaramirim.

Ele destaca que são mais de 80 projetos em diversas áreas em andamento na associação. “Uma conquista grande que foi o projeto dos mananciais durante o ano agora, projeto de R$ 3 milhões que está vindo aí para acontecer nos municípios dentro da Amvali”, cita Chiodini, como exemplo de trabalho desenvolvido. O Projeto Mananciais busca a recuperação de áreas de preservação permanente de nascentes e córregos da bacia hidrográfica da região.

LEIA MAIS: Projeto Mananciais busca adesão de agricultores do Vale do Itapocu

Além disso, o prefeito se diz satisfeito também pelo entendimento sobre o trabalho em parceria com a entidade, como na elaboração de projetos. Chiodini observa que a burocracia dentro das prefeituras entrava desde processos simples até os mais complexos. “Às vezes só no fato de projetos de pavimentação, onde você passaria por uma licitação para elaborar o projeto, se você não tem condições humanas dentro da Prefeitura, a Amvali acaba te dando esse suporte, esse apoio, e isso ficou muito claro durante o ano”, comenta.

Outro destaque da sua gestão foi a regularização do déficit que alguns municípios possuíam com a Amvali. “Conseguimos negociar com os municípios que estavam em débito e agora estão fazendo o repasse normalmente”, salienta Chiodini. O próprio município de Guaramirim possuía cerca de R$ 71,5 mil de débito que não foram repassados no fim de 2012, mas cujo pagamento já foi autorizado e programado.

LEIA MAIS: Guaramirim busca autorização para pagamento de dívida com Amvali

O ex-presidente ainda destaca o respaldo que teve dos outros prefeitos, sobretudo de Osvaldo Jurck, de Schroeder, que foi seu vice durante o ano. “Fico feliz como então presidente e como prefeito de Guaramirim de poder fazer parte desse momento onde a gente sente a credibilidade que foi retomada perante os prefeitos, perante os cargos do staff de confiança dos prefeitos, dos secretários e também dos funcionários efetivos, porque tenho como exemplo dentro da minha Prefeitura que eles trocam bastante informação com os funcionários da Amvali”, declara Chiodini.