Por: Patricia Moraes | 4 anos atrás

Em abril de 2012, os então deputados estaduais Dieter Janssen e Carlos Chiodini receberam a promessa do superintendente do Dnit, João José dos Santos, que o processo para estadualização do trecho urbano da BR-280 seria encaminhado. Três anos depois, esse continua sendo o único empecilho para a obra, segundo o governador Raimundo Colombo (PSD). Se o que falta é somente a emissão de um certificado transferindo a posse da União para o Estado, ou então uma permissão para a realização da obra, não pode haver prova de incompetência maior. É inaceitável que uma assinatura leve 36 meses para ser obtida. Tanto tempo de espera leva a crer não é tão simples assim. Ou o processo burocrático é mais complicado, ou o Estado não quer arcar com os custos da obra.

A duplicação, prevista para acontecer em um trecho de 9,5 quilômetros entre a ponte do Portal, no limite de Jaraguá do Sul e Guaramirim, e a Rodovia do Arroz, é alvo de reivindicações há décadas. No início do ano passado, a obra teve licitação concluída com o consórcio Infrasul, Coneville e Setor Sul sendo vencedor com uma proposta de R$ 85,7 milhões. Como revelou reportagem do OCP nesta semana, pelo menos dois índices sofreram reajuste desde então e já se levanta dúvidas sobre a validade da concorrência. Os contratos de pavimentação do Estado tiveram aumento de 40%, por exemplo.

Com a duplicação até São Francisco do Sul iniciada, mesmo que com andamento muito mais lento do que a comunidade espera, o trecho urbano merece receber atenção ainda maior. É preciso que as lideranças políticas, empresariais e comunitárias da região se mobilizem e unam forças para pressionar, ou ainda ouviremos a mesma desculpa por mais uma década.

Saco verde no comércio

A proposta para que os estabelecimentos comerciais de Jaraguá do Sul passem a distribuir 50% das sacolas plásticas na cor verde não deve causar dificuldade, considera o presidente da CDL , Eduardo Schiewe. O projeto de lei passou pela primeira votação na Câmara na quinta-feira, e, de acordo com ele, nenhum associado do setor atingido se manifestou contrário. Entretanto, Schiewe teme que não haja parâmetros para uma fiscalização eficiente. “Estamos juntos com a Prefeitura quando a questão é conscientização ambiental e reciclagem. Nossa opinião é de bom senso, não precisaria ter uma lei obrigando, mas uma campanha para estimular”, sugere.

Novo posto

O prefeito Osvaldo Jurck (PSDB) agendou para o dia dia 22 de maio, às 16h, a inauguração do Posto de Saúde do Rio Hern. A obra conta com 302,63 m² de área construída com investimento de R$ 453 mil.

Sem perdão

Fiscais da Hora Park não dão nem cinco minutos de tolerância e já saem multando motoristas que ultrapassam o horário previsto no comprovante do estacionamento rotativo que fica visível nos carros. Regra é regra, mas um pouco de bom senso não faz mal pra ninguém.

Sonda da Fujama 

A Fujama adquiriu esta semana uma “sonda multiparamétrica”. O valor do equipamento é R$ 5 mil. Utilizado na fiscalização da qualidade da água do rio nas proximidades de empresas, com ele, não será necessário encaminhar qualquer amostra ‘suspeita’ para a análise. A sonda aponta se há ou não indícios de contaminação e, se positivo, uma amostra é enviada para o laboratório. O equipamento reduz custos desnecessários com análises indevidas.

Mobilização do Sinsep

Está mantida a mobilização organizada pelo Sinsep hoje em Guaramirim. Mesmo diante do decreto de contenção de gastos publicado pelo prefeito Lauro Fröhlich, que entre outras medidas suspende a concessão de aumentos e reajustes, os servidores públicos municipais planejam ir à rua para pressionar a administração. “O prefeito tem as questões dele e nós temos as nossas”, declarou o presidente do sindicato, Luiz Cezar Schörner. Ganho real nos salários, acima dos 7,69% relativo à inflação, aumento do vale alimentação, revisão do Plano de Cargos e Salários e implantação do Plano de Carreira do Magistério são os principais pontos da pauta de reivindicações.

Contra mais vereadores

Campanha contra nova tentativa da Câmara de Blumenau para aumentar o número de vereadores, de 15 para 23, começa a ganhar as ruas da cidade com outdoors patrocinados pela Associação Empresarial, CDL e Sociedade Maçônica Regional. Ao todo são 30 peças demonstrando insatisfação com a proposta, nos mesmos moldes como foi feito em Jaraguá do Sul em 2011, quando a cidade virou notícia e bom exemplo nacional. À época, a proposta de aumentar de 11 para 19 as vagas foi rejeitada por oito votos a três.

—-

“Você não pode mexer no buraco no terreno do vizinho. Dependemos do governo federal para poder
fazer a obra.”, secretário de Desenvolvimento Regional, sobre a necessidade de estadualização do trecho urbano da BR-280.

“Também vai de acordo com a diretriz da Secretaria de Turismo que quer transformar o Estado mais atrativo durante todo o ano e não só em outubro”, presidente das Sociedades de Tiro, sobre a decisão de transferir a Schützenfest de outubro para novembro.

“Neste momento vamos tentar não mexer com as pessoas que têm responsabilidades financeiras, mas se for preciso, vai acontecer”, prefeito ao anunciar a necessidade de cortar R$ 18 milhões em despesas até dezembro. Demissões não estão descartadas.